22/07/2011 - Cerveja representa 86% do consumo

 

 

Cerveja representa 86% do total consumido em bebidas alcoólicas comercializadas em Mato Grosso. Estatística é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ao apontar que são 7,2 litros de bebidas ingeridos por habitante a cada ano, dos quais 6,2 litros são referentes a cerveja. A proporção acompanha a média nacional, de 88%, referentes ao derivado do lúpulo. Em comparação com demais bebidas, a cerveja é a terceira mais consumida, ficando atrás somente da água e do refrigerante de cola.

 

Entre os fatores que influenciam consumo está a questão cultural, visto que o país está entre os 10 maiores consumidores do mundo, e o clima, principalmente de Cuiabá, que pelo calor intenso, aproxima as pessoas das bebidas geladas. Para o consultor de varejo, Sebastião Félix, este é um segmento crescente e que tende a continuar em alta, principalmente para algumas variações específicas, como as cervejas importadas e as artesanais. "Com a valorização do real, está mais acessível o consumo de produtos de outros países, com elaboração mais sofisticada".

 

Com relação às cervejas artesanais, Félix ressalta que no país estão se proliferando os bares-cervejarias que fabricam a própria bebida, o que ainda é ofertado de forma tímida no mercado mato-grossense. Mas não são só os produtos de maior valor agregado que têm conquistado mais mercados. Cervejas industrializadas também incrementam faturamento em até 10% ao ano, o que representa crescimento de um cadeia como um todo. Segundo Félix, as bebidas movimentam a economia porque atua em muitos canais de vendas, como distribuidoras, bares, restaurantes. "Nos supermercados, por exemplo, vendas de bebidas, incluindo cervejas e refrigerantes chegam a representar 10% do total consumido".

 

Elevado consumo acaba atraindo para o Estado a instalação de indústrias de bebidas, que apoiadas por incentivos fiscais, se instalam em cidades mato-grossenses para abastecer o mercado local e também outras regiões. Há 3 anos a cervejaria Petrópolis inaugurou uma unidade fabril em Rondonópolis (a 212 km ao Sul da Capital), a 4ª da rede. Com investimento inicial de aproximadamente R$ 200 milhões, a empresa tem capacidade para produzir até 430 milhões de litros por ano. Inaugurada em julho de 2008 com 200 trabalhadores, atualmente a fábrica conta com 421 colaboradores, o que representa aumento de 110% no quadro de funcionários que atuam nas linhas de produção de latas e garrafas da marca Crystal.

 

De acordo com o gerente de Marketing da empresa, Douglas Costa, o crescimento da unidade foi de 27% em 2010 com relação em 2009, atingindo 130 milhões de litros de cerveja. Para este ano, a expectativa é saltar mais 13,6% na produção e alcançar 160 milhões de litros e um faturamento de R$ 3 bilhões. "Estamos certos de que os R$ 200 milhões que investimos na construção da fábrica há 3 anos foram muito bem aproveitados. O balanço trienal da unidade comprova isso". A

 

empresa, quando se instalou no Estado, recebeu incentivos por meio do desconto do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dentro do Programa para Desenvolvimento da Indústria e Comércio de Mato Grosso (Prodeic). Entre os fatores que contribuem para o crescimento da unidade no Estado está o desenvolvimento econômico, que, segundo Costa, estimula o consumo. "Mato Grosso é muito importante, sobretudo para a Crystal, que é a líder no Estado. Além disso, o mercado de cervejas está aquecido vem registrando crescimento em torno de 10% ao ano", diz ao considerar que isso é reflexo do crescimento socioeconômico da região, que considera promissora em muitos aspectos, principalmente em relação ao potencial de consumo. "Queremos marcar presença cada vez mais no mercado local".

 

Outra cervejaria no Estado é da Ambev, maior grupo do país, responsável pelas marcas Antárctica, Skol e Brahma, que estão entre as cervejas mais consumidas do país. Em Mato Grosso, a unidade da Ambev, instalada na Capital, possui 4 linhas de produção e capacidade para fabricação de 280 milhões de litros de bebidas. Além dos 3 principais rótulos de cerveja, a fábrica ainda produz 3 marcas de refrigerantes.

 

Unidade de Mato Grosso da Ambev é responsável pelo abastecimento dos estados de Mato Grosso do Sul, Goiás, Acre, Rondônia, e também parte da região Sul. Somando as operações de fabricação e distribuição, a companhia gera 700 empregos na região entre diretos e indiretos.

 

Presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), Jandir Milan, afirma que a indústria de bebidas é atraída principalmente pelos incentivos concedidos pelo governo estadual, até porque este segmento industrial paga muitos impostos porque, apesar de ser classificado como alimentação, não é classificada como de necessidade. "Incentivo fiscal do Estado estimula a vinda de unidades, até porque, mesmo com a redução, o encargo tributário é alto".

 

Fonte: Gazeta Digital