11/09/2018 - ‘Vamos ser a cidade mais relevante da cultura cervejeira no país’, diz produtor, após lei que muda regras em BH


Norma possibilita a instalação de micro cervejarias artesanais e bares que vendem a própria cerveja em todas as ruas da cidade, sem que sejam considerados fábrica. Para Abrasel, foi uma grande vitória para o setor

“Acreditamos que vão despontar cervejarias por toda a cidade e nós vamos ser a cidade mais relevante da cultura cervejeira no país”, afirmou ao G1 o vice-presidente do Sindicato das Indústrias de Cerveja e Bebidas do Estado de Minas Gerias (Sindbebidas), Marco Falcone, após o prefeito Alexandre Kalil (PHS) sancionar a lei das cervejas artesanais em Belo Horizonte.

A norma vai permitir a instalação de micro cervejarias artesanais e brewpubs – bares que fabricam a própria cerveja – por toda a cidade. Anteriormente, os locais que produziam cerveja eram considerados fábrica, só podiam ser instalados em avenidas e a tributação era maior. "Mostramos ao poder público que o impacto ambiental é baixo, é menor que um restaurante, não tem gordura, não polui e é silencioso", contou Falcone.

A lei foi publicada no Diário Oficial do Município (DOM) da última sexta-feira (7). Conforme a norma, fábricas com até 720 m² terão exigências de localização e fiscalização sanitárias semelhantes a bares. De acordo com o vice-presidente do Sindbebidas, que também é produtor de cerveja, quando o local fabrica e vende direto para o consumidor final não ocorre a chamada substituição tributária, que onera em até 140% o preço da bebida. “Certamente os preços vão cair muito, vão também ter produtos de melhor qualidade”, disse.

Conforme o texto, o projeto foi proposto no intuito de modernizar a legislação, permitir que as cervejarias fiquem na capital, pois sempre tiveram como tendência irem para cidades de Região Metropolitana e do interior; além de gerar empregos no segmento.

O presidente da Abrasel em Minas Gerais , Ricardo Rodrigues, acredita que a partir de agora, os empresários vão começar a tomar conhecimento da nova lei. Ele espera que dentro de seis meses os reflexos comecem a ser sentidos e bares e restaurantes já passem a produzir a própria cerveja, além do que novos bares vão começar a aparecer já com esse conceito. “É uma vitória muito grande para o setor”, concluiu Ricardo.

Fonte: G1

Acompanhe a Abrasel também nas mídias sociais:

alt alt alt