09/10/2017 - Restaurantes criam alternativas para refeições no meio da manhã

Novos hábitos pedem adaptação de horários de refeições e dos cardápio

A mudança de hábito de consumo das pessoas que frequentam locais como restaurantes, cafés e bares fez com que os empreendedores do setor de alimentação adaptassem os horários de refeições e cardápios. Dentro do objetivo, o chamado pequeno-almoço ou brunch, refeição servida no meio da manhã com a combinação entre os pratos leves e os mais nutritivos, é a estratégia responsável por até 50% das vendas nos estabelecimentos da cidade.

Após notar a expansão do comércio de Cajazeiras e perceber a falta de horários fixos de almoço das pessoas que trabalham no local, Adriano Lopes, sócio do Arena Dona Chica – Bar e Restaurante, resolveu fixar um cardápio de frutos do mar mais leve. Com refeições que misturam opções de salada com o camarão, o brunch passou a ser ofertado para o público que chega ao estabelecimento por volta das 9 horas da manhã. "Há 30 anos, quando minha mãe começou o negócio no bairro, as pessoas tinham menos flexibilidade com o horário do almoço. Atualmente, a maioria dos clientes acorda cedo para trabalhar no comércio e sente vontade de comer na metade da manhã. Por isso, metade do consumo diário do restaurante é feita fora do tradicional horário de almoço, que considero ser do meio-dia às 14 horas", conta Lopes.


Nos finais de semana, o brunch servido no Dona Chica busca atrair os clientes que estendem o horário das refeições para satisfazer suas necessidades e organizar o tempo livre. Segundo Lopes, observar o hábito dos moradores e visitantes do bairro foi essencial na reorganização do horário de funcionamento do restaurante. "Além das alterações no cardápio, realizada com a determinação dos alimentos disponibilizados pela manhã, surgiu a necessidade de começar a usar a cozinha mais cedo, já que nos fins de semana os clientes chegavam mais cedo que nos outros dias. Para se ter ideia, é comum ter pessoas no restaurante com o relógio marcando 8 horas da manhã de domingo", explica Lopes.

Análise de consumo

Para Anderson Teixeira, analista técnico do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas na Bahia (Sebrae-BA), a escolha por trabalhar com o brunch só traz benefícios com a correta observação do potencial público consumidor. Caso contrário, ao invés de aumentar as vendas, o empreendedor pode ter danos financeiros. "Estamos falando de uma estratégia de mercado que ainda é pouco explorada. Para garantir o sucesso na aplicação no negócio, é importante olhar se existe uma demanda real. A fixação desse instrumento sem a efetiva procura resulta na queima do cardápio, fato que gera a perda de alimentos e o consequente prejuízo", diz.

Após comprovar a necessidade e aplicar as alterações no cardápio, Teixeira recomenda a divulgação dos horários dos novos pratos pela internet, ambiente onde é alcançado um elevado número de pessoas. Ciente da importância das redes sociais na divulgação das refeições servidas no seu restaurante, localizado na Pituba, Soraya Galvão criou a conta oficial do Al Sukkar Empório Gourmet no Instagram. "Por ficar próximo de um cartório do bairro, recebemos muitos clientes de lá, todos em diferentes horários. Para ajudar na divulgação do brunch do dia, resolvi criar a conta no Instagram, onde coloco as fotos dos alimentos", explica a empreendedora.

Com mais de mil seguidores, o plano de divulgação do restaurante tem funcionado: os alimentos servidos no meio da manhã e da tarde, a maioria feitos à base de tapioca, correspondem a 30% do consumo mensal do Empório Gourmet. Para Soraya, a análise do público e a divulgação do cardápio variado facilitaram o sucesso do brunch.


Fonte: A Tarde



Acompanhe a Abrasel também nas mídias sociais:

alt alt alt