Shopping a céu aberto promete mudanças no setor

 



* Por Paulo Solmucci Júnior

O ano de 2014 promete movimentar o segmento de shopping centers em todo Brasil. Novos empreendimentos já estão previstos em muitos estados, o que também fomenta o setor de bares e restaurantes. Apesar do sucesso, novas tendências globais estão surgindo no mercado e, futuramente, podem refletir no país. Em recente palestra ministrada no NRF NY 2014 – o maior evento do varejo mundial – novos rumos foram apresentados aos participantes. Rick Caruso, dono do The Grove, shopping localizado em Los Angeles (Estados Unidos), afirmou que os shoppings fechados encerraram o ciclo de vida e já começou a era dos empreendimentos abertos.

Ele revelou que, desde 2006, nenhum shopping fechado foi inaugurado nos EUA. No Brasil, no entanto, esse modelo ainda deve ter longa vida por características particulares do país. A tendência, entretanto, não tardará a migrar para o nosso mercado. Atualmente, no contrafluxo das compras on-line, existe uma necessidade de ir às ruas, de interagir com pessoas, de frequentar locais ao ar livre, o que estimula a criação de abertos e cria um novo cenário para o setor alimentação fora do lar.

A alimentação, inclusive é o terceiro fator de ida ao shopping, seja para um lanche rápido, almoço ou jantar. Hoje, porém, as pessoas estão mais exigentes e em busca de uma alimentação de mais qualidade. Isso vai ao encontro do open mall, onde as pessoas ficam mais tempo do que nos convencionais e amplia a demanda pelo slow food – direito ao prazer da alimentação, utilizando produtos artesanais ou orgânicos, produzidos de forma que respeite tanto o meio ambiente quanto as pessoas responsáveis pela produção.

Vale ressaltar que nesse modelo de shopping, os restaurantes ficam em posições estratégicas, o que favorece o empresário de bar e restaurante. Além disso, há menos operações rápidas e mais à la carte, bem como choperias, pizzarias e ambientes que contribuem para o encontro entre amigos e familiares.

No Brasil, atualmente, existem empreendimentos que se aproximam do modelo americano, como é o caso do Jardins Open Mall, em Fortaleza (CE), e o Jurerê Open Shopping, em Florianópolis (SC). O formato ainda tem muito a crescer no mercado nacional, com boas possibilidades para o segmento de alimentação fora do lar.

O arquiteto urbanista Norberto Sganzerla destacou que o shopping ao ar livre é um conceito mais ‘verde’ do que o padrão convencional. Para ele, o grande atributo de uma construção com esse formato é oferecer ao público a sensação de continuidade da rua, porém, com um nível de organização diferenciado e um mix de atividades que consiga despertar o interesse nas pessoas de permanecerem no local. Tudo isso está diretamente relacionado ao nosso setor. Vamos ficar atentos!